sábado, 22 de Maio de 2010

Mama

Mama









·         É um órgão par.
·         As mamas são glândulas cutâneas que pertencem ao sistema genital feminino.
·         Situam-se na porção ântero-superior do tórax (salvo seja :P), de cada lado do esterno, adiante dos músculos grande e pequeno peitoral, no intervalo compreendido entre a 3ª e 7ª costelas.
·         Contudo a situação vai depender um pouco da sua forma e do tipo de tórax.
·         Podem existir mamas acessórias. Ao longo de uma linha que vai desde a axila até à região inguinal. As mamas acessórias podem surgir completas ou apenas surgir a aréola e o mamilo ou o mamilo sem aréola.
·         Na adolescente tem forma semi-ovóide.
·         Na mulher de raça branca, em decúbito dorsal tem forma semi-esférica.
·         Na mulher de raça negra, em decúbito dorsal tem forma cónica.
·         Em mulheres em período de aleitamento ou idosas à mamas pendentes.
·         Entre as duas mamas encontra-se o sulco intermamário.
·         Dependendo do peso e na posição bípede, entre a face inferior da mama e a face anterior do tórax, temos a sulco inframamário.
·         Dimensões: largura – 12/13; altura – 10-11; espessura – 5/6cm
·         Durante a lactação as mamas aumentam de volume, o qual diminui apos a mesopausa.
·         São resistentes e elásticas na mulher nulípara e moles sem elasticidade e pendentes na multípara e na q ta em aleitamento.
·         Meios de fixação: a camada adiposa retromamária continua-se c a fascia superficialis, que p sua vez adere à aponevrose do grande peitoral e ao bordo anterior da clavícula p/ meio do ligamento suspensor da mama.
·         Conformação exterior: convexa; 3 zonas:
o   Zona periférica: continua-se com a pele das regiões adjacentes e c a aréola.
o   Zona médiaaréola: aumenta de tamanho na gravidez. Na mulher nulípara e rosada e na grávida acastanhada. Dps do 6º mês de gravidez pode aparecer uma aréola secundaria com menor pigmentação. Na aréola podem surgir saliências – tubérculos de Morgagni – resultam de glândulas sebáceas mto desenvolvidas. Na mulher grávida os tubérculos de Morgagni desenvolvem-se e chamam-se tubérculos de Montgomery.
o   Zona centralmamilo: localizado no centro da aréola. Tem forma cilíndrica e projecta-se p diante e p fora. O vértice apresenta orifícios – poros galactóforos – cujo conjunto constitui a área cribosa do mamilo e corresponde à abertura dos canais galactóforos.
·         Relaçoes
o   Face anterior: pele
o   Face posterior: camada adiposa retromamária; ligamento suspensor da mama; fascia superficialis; bolsa serosa retromamária; aponevrose do M. grande peitoral; M. grande peitoral; M. pequeno peitoral.
·         Constiuiçao anatómica
o   Camada cutânea – pele que reveste a mama; na zona da aréola e o mamilo essa camada de pele possui fibras musculares lisas que se contraem permitindo a erecção do mamilo e no aleitamento, à expulsão de leite p o exterior por contracção dos canais galactóforos.
o   Camada célulo-adiposa subcutânea – encontra-se entre a pele e o corpo mamário. Não existe na aréola e mamilo. E constituída por tecido adiposo septado por cristas fibrosas - onde estão os vasos e nervos.
o   Camada célulo-adiposa retro-mamária – situada atrás do corpo mamário. Continua-se em cima com a fascia superficialis que adere a aponevrose do grande peitoral e à clavícula, constituindo assim o ligamento suspensor da mama.
o   Corpo mamário – constituído por tecido glandular, tecido conjuntivo denso e adiposo. À periferia apresenta 5 prolongamentos mamários:
§  Prolongamento axilar: dirige-se p a axila p baixo do bordo inferior do grande peitoral;
§  Prolongamento clavicular: dirige-se p/ a clavícula;
§  Prolongamento hipocôndrico: dirige-se p/ o hipocôndrio;
§  Prologamento epigástrico: dirige-se p/ o epigastro;
§  Prolongamento esternal: → p/ o esterno.
Apresenta lobos mamários constituídos por lóbulos mamários onde se encontram as glândulas mamárias. Entre os lobos mamários temos tecido conjuntivo com lóbulos adiposos.  O produto de secreção das glândulas mamárias vai para os canais galactóforos que se continuam pelos seios galactóforos e que terminam nos poros galactóforos.




à Bolsa serosa retromamaria: limitada adiante pela fascia superficialis e atrás pela apronevrose do M. grande peitoral.

·         Desenvolvimento da mama
o    Puberdade: já toda a estrutura da mama está desenvolvida. Tem glândulas, tem lobos mamários tem os seios e canais galactóforos.
o   Na gravidez: as glândulas proliferam e o TC e Tadiposo diminuem.
o   Na lactação: produz-se leite
o   Na menopausa: ocorre processo de involução.




·         Artérias
o   Parte interna: ramos da artéria torácica interna; artéria mamária medial principal
o   Parte inferior e externa: ramos da artéria axilar (nomeadamente: torácica lateral, torácica superior, toraco-acromial e subescapular); artéria mamária lateral principal. Arterias intercostais.

·         Veias
o   Rede superficial – plexo venoso areolar; drena nas veias superficiais vizinhas
o   Rede profunda – drena nas veias torácicas laterais, torácica interna e intercostais. (VPTLITI)

·         Linfáticos
o   Gânglios linfáticos axilares
§  Via principal: é da rede linfática subareolar que partem os vasos linfáticos principais que drenam nos gânglios linfáticos axilares peitorais (do lado da mama onde é feita a drenagem ou do lado oposto).
§  Via transpeitoral: a rede linfática drena p/ gânglios linfáticos axilares apicais; sendo que por vezes, antes de alcançar os apicais, pode haver os interpeitorais.
§  Via retropeitoral: apicais tbm.

o   Gânglios linfáticos para-esternais
    • Gânglios linfáticos supraclaviculares: apesar de pouco frequente podem haver vasos que se dirijam e drenem directamente nos Gânglios linfáticos supraclaviculares.





Nódulo de mama

Etiologia
A presença de nódulo mamário é a principal queixa em centros especializados em mastologia. A maior parte dos nódulos é de natureza benigna. O diagnóstico da lesão, no entanto, deve afirmar a natureza da mesma com acurácia. Os fibroadenomas são os tumores mais freqüentes em pacientes com menos de 40 anos, e acometem até 9% das mulheres. Nestas pacientes em estudo americano as neoplasias malignas representam 5% dos nódulos sólidos. Em pacientes acima de 40 anos, todo nódulo deve ser considerado como suspeito de neopla­sia maligna independentemente de suas carac­terísticas.


Clínica
Os tumores de mama, inclusive os malignos são geralmente assintomáticos e são descobertos à palpação (48%) ou durante mamografia rotineira (41%). Na anamnese, perguntar sobre a evolução da lesão desde a detecção, alterações da mama ou da papila, história de biópsias prévias, antecedente de traumatismo mamário, exposição prévia a quimio ou radioterapia, presença de derrame papilar, história pregressa ou familiar de câncer de mama ou ovário, uso de terapia hormonal ou anticoncepcional. O ingurgitamento ma­mário, durante o prémenstruo, pode dificultar eventualmente a descoberta de uma lesão neste período. Eritema local, edema, retração de pele ou mamilo às manobras de inspeção estática ou dinâmica podem representar infiltração cutânea ou dos ligamentos suspensores da mama (de Cooper). Nódulos endurecidos, fixos ou com mobilidade restrita sugerem neoplasia maligna, assim como linfonodos endurecidos ou coales­centes em cadeias axilares ou claviculares.

Diagnóstico
Na mamografia devem-se avaliar a densidade, os contornos e o formato dos nódulos. Quanto à densidade, nódulos com densidade superior a do parênquima mamário tendem a ser de natureza maligna devido ao maior conteúdo celular; porém, hematomas, abscessos e cistos sebáceos também podem se apresentar dessa forma. Quanto aos contornos, os nódulos com contornos bem definidos têm pequena probabilidade de ser malignos, porém tumores do tipo colóide, mucinoso e medular podem se apresentar dessa forma. O contorno lobulado pode ser encontrado nos fibroadenomas, hamartomas e papilomas (lesões benignas) como nos carcinomas, porém, se o contorno não está bem definido, aumentam as probabilidades de uma lesão maligna.
As lesões de contorno espiculado têm a maior probabilidade de ser carcinomas; porém, é necessário o diagnóstico diferencial com cicatrizes cirúrgicas, esteatonecrose e adenose esclerosante. O formato da lesão tem pequena correlação com sua natureza.
A mamografia apresenta uma taxa de 10 a 20% de falsos negativos. As lesões suspeitas à mamografia ou à ultra-sonografia devem ser biopsiadas por punção com agulha fina, punção com agulha grossa (core biopsy ou mamotomia) ou biópsia excisional.








Mais informaçoes em: http://www.consultormedico.com/consultar-doencas/caroco-na-mama/nodulo-de-mama.html



    Sem comentários:

    Enviar um comentário